Capítulo 12

Demetria adentrou na casa dos Jonas e sentiu o nervosismo tomar conta de si. Cinco empregados estavam parados perto das escadas esperando por eles.
  —  Sejam bem-vindos, senhores — uma gordinha de olhos azuis piscina cumprimentou o casal. Os demais fizeram o mesmo com um gesto de reverência. Joseph sorriu satisfeito.
  — Obrigada, Claire. É uma surpresa vê-los por aqui visto que já está tarde.
  — Queríamos receber a madame. Fizemos mal, chefe? — um dos homens que havia pego Demetria no dia anterior disse, e Joseph negou, dando um sorriso. Pelo contrário, havia ficado satisfeito com a atitude dos empregados. — A madame me perdoe por aquele dia que esteve aqui, tou muito envergonhado.
  — Tudo bem, a culpa foi minha — ela respondeu simpática, e logo uma das empregadas apresentou todos. Demetria havia gostado mesmo deles, pareciam ser boas pessoas. Joseph mandou que Claire mostrasse o quarto à esposa, deixando a morena receosa.
  — Aqui, senhora — Claire indicou, e Demi entrou no enorme quarto olhando tudo. A cama, os móveis, era tudo muito bonito. Uma  estante que continha seus livros lhe chamou atenção. — Tomei a liberdade de colocá-los ali, mas creio que o senhor Jonas não se incomodará se a senhora quiser usar a biblioteca. Deixe-me ajudá-la com o vestido.
Demi agradeceu aos céus quando tirou a peça. A noite inteira pesando e apertando. Claire preparou um banho e a morena desfrutou da água morna, relaxando os músculos. Resolveu terminar quando ouviu a porta do quarto bater. Colocou a camisola que a empregada havia deixado e focalizou algo no banheiro pontudo, caso precisasse se defender. Saiu, silenciosamente, e se deparou com as costas nuas de Joseph, já que ele se despia. Deitou-se no lado direito da cama e o marido percebeu sua presença.
  — O que achaste do pouco que viu? — ele perguntou e ela ficou na dúvida se estava se referindo ao seu peito nu ou à casa.
  — Bonita e elegante.
  — Amanhã terei o prazer de mostrá-la tudo — Joseph disse, antes de ir para o banheiro. A morena suspirou aliviada e se cobriu. Ele não ousaria fazer nada enquanto ela dormia, não? Tentou, mas não conseguiu pregar os olhos até que ele saísse do banheiro. Quando isso aconteceu, a morena fingiu estar no mais profundo sono.
Sentiu quando o outro lado da cama afundou e ouviu o assopro dele nas velas, deixando o quarto apenas com o luar.
Demetria estremeceu quando sentiu ao mão gelada em seu braço e o corpo dele bem próximo às suas costas.
  — É uma pena irmos dormir na nossa noite de núpcias — Joseph disse, enquanto subia e descia a mão, vagarosamente, pelo braço dela. Demetria continuou fingindo que estava dormindo, por mais que ele soubesse que era mentira. Ele pôs a boca no ouvido dela. — Mas tudo bem... ainda ficaremos acordados por muitas noites.
Depositou um beijo no seu ombro nu e descolou-se dela. A morena quase gritou de alívio e adormeceu perturbada com a frase dele.

Demi despertou, remexendo-se na cama e focalizando o teto. Era estranho acordar e não ver seu quarto. Mas diferente da cabana do Cavaleiro, não era bom.
Sentou, aliviada por Joseph não estar mais ao seu lado. Passar a noite na companhia de alguém havia sido estranho. E pensar que repetiria era torturante.
  — Boa tarde, senhora — Claire cumprimentou Demetria, que descia as escadas. — Em que posso ajudá-la?
  — Estou faminta.
  — O almoço já será servido, apressarei Judith — a mulher disse nervosa e saiu apressada para a cozinha, antes que Demetria dissesse que não precisava se desesperar.
Ainda não entendia por que os empregados faziam de tudo para agradá-la desesperadamente e achava estranho. Fez o mesmo caminho de Claire e parou antes de entrar na cozinha.
  — Confesso que estou com medo. O senhor Jonas parece apaixonado, e se ela o fizer mudar?!
  — Claire, acalme-se! — Judith disse mansa, enquanto preparava a comida. — Trabalho aqui há anos, conheço o senhor Joseph desde bebê e acredito no caráter dele.
  — Mas é dela que eu tenho medo.
  — Ele não escolheria uma esposa somente pela beleza, acredito eu — a mais velha disse, esperançosa, deixando Demetria intrigada com a conversa. — Espero que ela seja como a falecida senhora Jonas.
A morena então lembrou da briga com Victor na noite passada. Ele comentou sobre os pais de Joseph, o que deixou o último perturbado. Agora estava curiosa para saber por que deixara seu esposo tão enfurecido.
  —  Tu gostas de um corredor, não é mesmo? — ouviu a voz de Joseph e o encarou, logo atrás de si. Ele estava tirando sarro porque noite passada a encontrou no corredor também. Demi ergueu a sobrancelha, debochada.
  — Quem és tu para falar de mim, visto que sempre estás no corredor também?
  — Que ácida para uma bela tarde, senhora Jonas — ele respondeu com um sorriso e então a ficha pareceu cair para Demetria. Não era mais senhorita Lovato e, sim, senhora Jonas. — Venha comigo, quero que conheça sua nova casa.
Ela o seguiu, sem interrupções. Era bom conhecer todos os cômodos, já que teria que passar bastante tempo por ali. Joseph a levou até alguns quartos de hóspedes e os de Claire e Judith, caso precisasse de ajuda. Mostrou também a sala das refeições que Demi achou magnífica, tirando algumas coisas. A cozinha e a dispensa, onde percebeu o nervosismo de Claire. Mas o último e melhor local foi o escritório do marido que era junto da biblioteca. Seus olhos brilharam e ela não ouviu mais o que Joseph dizia. Este que admirou a esposa que contemplava sua estante.
"Ela é real?" às vezes ele se perguntava.
  — Esse é o melhor cômodo, com certeza.
  — Não se precipite, ainda não conheceu lá fora — ele disse, cruzando os braços, enquanto ela ainda analisava a estante de livros. Fixou o olhar em uma fotografia que parecia ser a família Jonas. Joseph estava bem mais novo, junto dos seus pais. Sua mãe era realmente bonita e elegante e Demetria reconheceu seu pai. Já tinha o visto quando pequena e lembrou-se quando ouviu seu pai dizer sobre um amigo que falecera. Decidiu que não havia momento mais oportunos para suas perguntas.
  — Lembro-me que meu pai havia dito que o senhor Jonas falecera em uma revolta de escravos.
  — É o que dizem...
  — Por que tu ficaras tão aborrecido com o que Victor disse? - ela foi direto ao ponto, virando-se para encará-lo e não perder nenhuma reação que pudesse revelar uma mentira.

                                                                       



Comentários

  1. Adorei o capituloooo

    ResponderExcluir
  2. Adorando essa história...... quando ele vai falar a verdade pra ela? Ela ficou gravida nessa noite de amor que teve com o cavaleiro? Qual o mistério em torno da família? Ansiosa pra saber o que vai acontecer. Faz uma maratona por favor!!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

O espaço é todo seu.

Postagens mais visitadas